Seminário avalia projeto do CEADES com as cooperativas da agricultura familiar de Goiás

Nos dias 12 e 13 de fevereiro foi realizado o Seminário de Avaliação do Mais Gestão com 18 cooperativas da agricultura familiar do Goiás na cidade Goiânia. O evento que contou com a participação de 43 pessoas e teve como objetivo avaliar a execução do Projeto Mais Gestão executado pelo CEADES no período de julho de 2013 a fevereiro de 2016. A atividade foi realizada no Hotel Serras de Goyaz na capital do Estado. Estiveram presentes representantes de 17 Cooperativas assistidas, SEBRAE GO, CECAF GO, INCRA GO, Delegacia Federal do MDA no Estado.

O CEADES esteve representado pelos coordenadores do Projeto, Paulo Cesar Arns, Ciro Correia e Colmar Domingues e pelos técnicos Áldina Chaves, Edna Patrício e Fabiano Ruas. Também estiveram presentes os responsáveis pelos setores administrativos, Vera Freitas – escritório de Brasília – e José Santillán – escritório de Chapecó. O CEADES foi representado institucionalmente pelo Diretor financeiro Dirlei Bertocchi.

O Projeto Mais Gestão é um programa do Ministério do Desenvolvimento Agrário para dar assistência técnica e extensão rural para as cooperativas da agricultura familiar. Seu foco principal é no aprimoramento da gestão da cooperativa visando a organização da Empresa Cooperada. Foi ofertado para 500 cooperativas no Brasil, sendo 20 delas no Estado de Goiás. O CEADES foi a entidade executora selecionada através de chamada pública para realizar os serviços.

A intencionalidade do Mais Gestão é melhorar o acesso aos mercados institucionais e livres, acesso as políticas públicas e disseminação e fortalecimento do Cooperativismo da agricultura familiar.

O Mais Gestão atua da seguinte forma: oferta de uma metodologia que permite a entidade executora e a cooperativa construir de forma participativa a estratégia de intervenção. Neste sentido, a metodologia segue os seguintes passos:

a)       Mobilização, sensibilização e seleção das cooperativas a partir dos critérios estabelecidos no edital, entre eles que a cooperativa fosse portadora de DAP jurídica;

b)       Realização de um diagnóstico com dados quantitativos e qualitativos da cooperativa em suas áreas funcionais de gestão organizacional, recursos humanos, finanças e custos, comercialização e marketing, gestão industrial e ambiental;

c)       Elaboração do Plano de Aprimoramento com a partir do diagnóstico e da análise de mercado da cooperativa e plano de visitas técnicas.

d)       Realização de pelo menos 10 visitas técnicas por cooperativa;

e)       Atualização do Plano de Aprimoramento;

f)        Avaliação e encerramento do projeto.

No plano de aprimoramento é que o CEADES definiu juntamente com as cooperativas a estratégia de intervenção e as ações necessárias para melhoria na gestão interna das empresas cooperadas. Foram definidos e realizados 20 Planos de Aprimoramento, 502 ações técnicas e realizadas 409 visitas técnicas as cooperativas. Das 20 selecionadas, 18 permaneceram até o final do programa. “Dada a realidade encontrada nas cooperativas e confirmadas pelo diagnóstico”, destaca Paulo Cesar Arns, coordenador do Projeto do CEADES em Goiânia, “este período se concentrou na organização da empresa cooperada”. Revisão do quadro de cooperados, organização dos departamentos, melhoria nas ferramentas e instrumentos de administração financeira e de custos, orientações para gestão industrial, estrutura e estratégia de mercado foram os grandes pontos de atuação dos técnicos do CEADES junto às organizações.

O CEADES ainda contou com uma equipe de 12 técnicos, nas mais diversas áreas de conhecimento técnico em cooperativismo e organização de cooperativas.

Numa linha geral, os participantes avaliaram que o trabalho do CEADES foi fundamental para a organização das cooperativas, para recuperar empreendimentos que estavam em situação de riscos, capacitar e orientar os dirigentes na gestão de suas cooperativas e torna-las aptas não somente quanto ao rumo a seguir, mas também na visualização dos principais campos estratégicos de atuação nos próximos períodos. É necessário, segundo os participantes, avançar na organização das parcerias e inter-cooperação, criando as centrais de comercialização e fortalecendo a CECAF. Aprimorar os serviços e as ferramentas de contabilidade; definir estratégias conjuntas de acesso aos mercados, promover ações visando a certificação das cooperativas que passaram pelo Mais Gestão. Para eles, os avanços também abriram um campo de demandas e necessidades das cooperativas no que se refere a ATER. Entre eles, destacam os processos agroindustriais que estão em cursos, aprimoramento do acesso aos mercados locais – feiras livres e supermercados – bem como no PAA e no PNAE e a aproximação e realização de negócios entre as cooperativas.

Com o apoio da Delegacia do MDA, do INCRA, o SEBRAE irá dar continuidade ao trabalho que já vinha executando em parceria com o CEADES, em especial, na estratégia de organização da Produção. O CEADES ainda deverá dar apoios pontuais as cooperativas para contribuir e participar dos novos editais que deverão sair visando a continuidade dos trabalhos. ““Para acessar de fato aos mercados”, diz Paulo Liss, presidente da Cooperpesca de Uruaçu,” sem risco de endividamento, nós precisamos muito do acompanhamento do CEADES, principalmente, por tudo o que apreendemos a fazer neste período com sua equipe”, salienta. “Apreendemos a nos organizar e sabemos como administrar, mas entrar no mercado é outro negócio que as cooperativas irão fazer e isso demanda assistência técnica especializada”, finaliza.

“Este trabalho no Goiás é um marco para o CEADES”, diz Ronaldo Martins, coordenador institucional do CEADES, “também ajudou muito no fortalecimento institucional do nosso instituto”.

 

Deixe uma resposta?